A FELICIDADE COMO VIRTUDE EM BENEDICTUS DE SPINOZA

Guadalupe Macêdo Marques

Resumo


Resumo: O presente artigo tem como objetivo abordar o conceito de Felicidade segundo o filósofo holandês Benedictus de Spinoza (1632-1677), para o qual Felicidade reside no conhecimento e amor a Deus, o que o filósofo chama de amor intelectual de Deus (amor dei intelectuallis). Se a tradição filosófica associava esse conceito à vida contemplativa, Spinoza o identifica à virtude. Para a realização desse estudo, será aqui utilizada a Ética (1677), principal obra do filósofo. Pode-se concluir, portanto, que para Spinoza a Felicidade não consiste em uma recompensa de uma vida virtuosa, pois é ela a própria virtude.

Palavras-chave: Felicidade. Amor. Deus. Virtude. Spinoza.


Abstract: This article aims to address the concept of Happiness according to the Dutch philosopher Benedictus de Spinoza (1632-1677) , for which happiness lies in the knowledge and love of God , what the philosopher calls the intellectual love of God (amor dei intelectuallis ). If the philosophical tradition associated this concept to the contemplative life, Spinoza identifies virtue. For the realization of this study, it will be used here to Ethics (1677), the main work of the philosopher. It can be concluded, therefore, that for Spinoza Happiness does not consist in a reward of a virtuous life , for it is virtue itself.

 Keywords: Happiness. Love. God. Virtue. Spinoza.


Palavras-chave


Felicidade. Amor. Deus. Virtude. Spinoza

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Occursus - Revista de Filosofia

ISSN: 2526-3676