A FUNÇÃO REVOLUCIONÁRIA DA MULHER A PARTIR DE HERBERT MARCUSE

Mikaelly Costa Juca

Resumo


O objetivo deste artigo será apresentar a mulher como força revolucionária, como um movimento político de contestação necessário para um novo princípio de realidade. Como referência principal utilizamos o ensaio Marxismo e Feminismo, onde Herbert Marcuse reconhece as potencialidades do movimento das mulheres e propõe uma possibilidade de existência de uma nova sociabilidade, ou seja, um surgimento de um novo princípio de realidade o qual se faz necessário para emancipação feminina, onde seria superado as relações sociais e individuais do ser humano. Para Marcuse, a emancipação feminina não deve ser vista como uma utopia inatingível mas como uma luta política que tem todos os meios possíveis para acontecer que por mais difícil e doloroso que seja, é um processo necessário para o alcance de uma sociedade madura tanto para homens quanto para mulheres. A luta pela emancipação das mulheres, também é uma luta pela emancipação humana. 


Palavras-chave


Filosofia, Feminismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Estadual do Ceará - UECE

Centro de Humanidades - CH

Curso de Graduação em Filosofia                                   

Occursus - Revista de Filosofia

ISSN: 2526-3676

Qualis B3


APOIO: