A CULTURA DO ALTO-CAPITALISMO COMO SONHO COLETIVO

Pedro Henrique Magalhães Queiroz

Resumo


O presente artigo tem como pressuposto a reformulação teórica que Walter Benjamin, nas Passagens (Das Passagen-Werk), opera acerca da relação entre economia e cultura, tratando-a não de maneira exterior e mecânica, ou seja, de maneira causal, mas de modo expressivo. Para tanto, além de pensar o fetiche da mercadoria (Marx) como origem dessa relação, utiliza-se do modelo da interpretação dos sonhos como um modo de pensá-la; estabelece, assim, um diálogo com a psicanálise de Sigmund Freud. Traçar as linhas gerais deste diálogo é uma tentativa apresentada aqui. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Universidade Estadual do Ceará - UECE

Centro de Humanidades - CH

Curso de Graduação em Filosofia                                   

Occursus - Revista de Filosofia

ISSN: 2526-3676

Qualis B3


APOIO: