A PERCEPÇÃO DA LIBERDADE E USO DA AUTONOMIA DA RAZÃO A LUZ DO PENSAMENTO DE KANT E RAWLS

Celestino Taperero Fernando

Resumo


Resumo: O presente trabalho tem como objetivo explicitar a ideia de liberdade em Kant e Rawls. Kant é o filosofo que deu um passo mais largo na época moderna e pode ser considerado como denominador comum da época contemporânea. Isto se dá devido à sua dimensão de pensar e a preocupação com a industrialização da sua época, correlatos ao problema da metafísica e do conhecimento. Para Kant, a liberdade não é um direito, mas a condição para todo direito e esforçar-se por preservar a liberdade implica em viabilizar os direitos mesmos. Rawls, no entanto, começa por escrever uma teoria da justiça para propor um contrato social dentro das sociedades e das instituições sociais. Para ele as instituições justas são aquelas que vão de acordo com as virtudes e garantem o bem comum para todos de uma forma equitativa. Uma sociedade bem ordenada compartilha de uma concepção pública de justiça que regula a estrutura básica da sociedade. A sua intenção era formar uma sociedade justa sempre guiada por uma causa racional, visando garantir o bem estar da sociedade. A liberdade é reconhecida por intermédio dos bens primários, estabelecidos na posição original da pessoa.

 

 


Palavras-chave


Palavras chaves: A liberdade, moral, Kant e Rawls

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.