OS REGIMES POLÍTICOS E O LUGAR DA MULTIDÃO EM BENEDICTUS DE SPINOZA

Guadalupe Macêdo Marques

Resumo


Em sua filosofia política, Benedictus de Spinoza (1632-1677) defende a ideia de um Estado livre, resultado da união da potências dos indivíduos, os quais formam assim, um sujeito político coletivo, a multidão, real detentora do poder. O presente artigo tem como objetivo abordar a análise spinozana acerca das formas de governo, seus fundamentos e condições para consolidação, de maneira a chegar àquele que melhor garante o exercício do poder da multidão. Para tanto, utilizaremos as seguintes obras de Spinoza: Ética (1677), Tratado Teológico-Político (1670) e Tratado Político (1677).

PALAVRAS-CHAVE: Regimes políticos. Multidão. Poder. Direito. Spinoza.


THE POLITICAL REGIMES AND THE POSITION OF THE CROWD IN SPINOZA 

ABSTRACT

In his political philosophy, Benedictus de Spinoza (1632-1677) supports the idea of a free state, the result of the union of powers of individuals, which form thus a collective political subject, the crowd, holding the real power. This article aims to address the spinozana analysis about forms of government, its foundations and conditions for consolidation, in order to reach that best guarantee the exercise of the power of the crowd. Therefore, we will use the following works of Spinoza: Ethics (1677), Theological-Political Treatise (1670) and Political Treatise (1677).

KEY WORDS: Political regimes. Crowd. Power. Right. Spinoza. 

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.