A ALEX POLARI DE ALVERGA

Paulo Glayson Lima Lopes

Resumo


Preso no Rio de Janeiro em 1971 por envolvimento direto em movimentos de guerrilha, contrabandeava (para o lado de fora!) das prisões por onde passou as poesias que escrevia, denunciando os horrores vividos no cárcere. Várias delas, à época, publicadas pela Anistia Internacional e apreciadas por círculos acadêmicos europeus e latino-americanos engajados na defesa dos direitos humanos. Seus versos foram reunidos nos livros Inventário de cicatrizes (1975) e Camarim de prisioneiro (1980). Com a promulgação da Lei da Anistia (1979), vem gozando desde 1980 “esse estranho direito de ir e vir/ sem levar um pau” – como ele próprio já versou. Atualmente, atua como líder de comunidades aglomeradas em torno dos rituais do Santo Daime.

 

Meanwhile other stories ...

 

Stuck in Rio de Janeiro in 1971 by direct involvement in guerrilla movements, smuggling (to the outside!) Prison where he passed the poems he wrote, denouncing the horrors in prison. Several of them, at the time, published by Amnesty International and appreciated by European academic circles and Latin American engaged in defending human rights. His verses were collected in this scars books (1975) and prisoner of Dressing Room (1980). With the promulgation of the Amnesty Law (1979), has enjoyed since 1980 "this weird right to come and go / without taking a stick" - as he will have versou. He currently serves as the leader of communities clustered around the rituals of the Santo Daime.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



ISSN: 2357-8556



INDEXADORES:

    

     

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.