Dialéticas a-históricas: da Antiguidade à transição kantiana

Osterne Nonato Maia Filho

Resumo


O presente artigo se propõe a fazer uma breve discussão acerca da dialética a partir de sua tradição filosófica que vai da antiguidade ocidental até a transição kantiana, cuja marca em comum é sua leitura a-histórica, predominantemente lógica e gnosiológica. Trata-se de revisão bibliográfica, de natureza mais descritiva e exploratória, visando contribuir para um debate acerca da origem da dialética, especialmente para o leitor menos iniciado nos debates filosóficos. Neste viés, a discussão se inicia pela tentativa platônica de conciliar as leituras opostas de Parmênides e Heráclito; pela leitura logicista da dialética em Aristóteles; a passagem da dialética pelo pensamento medieval e moderno e a tentativa kantiana de conciliar em uma nova dialética o racionalismo e o empirismo modernos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.