PRÁTICAS PRODUTIVAS E DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NO REORDENAMENTO TERRITORIAL DO ALTO JAGUARIBE – CEARÁ

Cristiane de Castro Feitosa Melo

Resumo


AO LONGO DA HISTÓRIA O HOMEM, INSERIDO EM SUA SOCIEDADE, TEM ESTABELECIDO RELAÇÕES COM A NATUREZA, UTILIZANDO-SE DOS MEIOS EM QUE ESTA DISPONIBILIZA, CAUSANDO ASSIM UM USO DESENFREADO, QUE AO LONGO DOS SÉCULOS, GEROU UMA CADEIA DE CONSEQUÊNCIAS NÃO SÓ AMBIENTAIS, COMO TAMBÉM SOCIOLÓGICAS E ECONÔMICAS. ESTAS MESMAS CONSEQUÊNCIAS ABORDAM VÁRIOS DEBATES E É DE SUMA PREOCUPAÇÃO PARA COM A HUMANIDADE ATUALMENTE, PAUTANDO AS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS BEM COMO O PENSAMENTO SUSTENTÁVEL. DA COLONIZAÇÃO À DISTRIBUIÇÃO DE SESMARIAS E A CONSOLIDAÇÃO DOS PORTUGUESES NAS TERRAS CEARENSES, VÊ-SE O USO DESCABIDO E O NÃO COMPROMETIMENTO PARA COM OS RECURSOS NATURAIS, PRINCIPALMENTE NAS ÁREAS DO CEARÁ, MAIS PRECISAMENTE, DO ALTO JAGUARIBE. PARA TANTO, COM PRINCIPAL OBJETIVO A PERCEPÇÃO DO COMPARATIVO COM O PASSADO-PRESENTE, TENDO EM VISTA OS RECURSOS QUE NÃO MAIS EXISTEM, TANTO DA FAUNA COMO A FLORA E AINDA AS PROFUNDAS MUDANÇAS SOCIAIS COM SEUS CENÁRIOS DE VULNERABILIDADE. ALÉM DA AVALIAÇÃO DAS PRÁTICAS PRODUTIVAS E DE CONSERVAÇÃO E DOS INDICADORES SOCIOAMBIENTAIS NO REORDENAMENTO DO TERRITÓRIO DO ALTO JAGUARIBE, COM VISTAS A EXPRESSAR AS POLÍTICAS PÚBLICAS. TAIS TRANSFORMAÇÕES RESULTANTES DA RELAÇÃO SOCIEDADE E NATUREZA, TÊM SE INTENSIFICADO DE FORMA ABRUPTA PELA PRÓPRIA MERCANTILIZAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS. NO CONJUNTO DA PAISAGEM, VERIFICAM-SE VÁRIAS FORMAS DE ORGANIZAÇÃO ESPACIAL. NESSA PERSPECTIVA BASEANDO-SE NA METODOLOGIA SISTÊMICA, ESTUDANDO E DIAGNOSTICANDO TAIS PROCESSOS, REALIZOU-SE UMA PESQUISA QUALITATIVA DO TIPO ESTUDO DE CASO ETNOGRÁFICO, AINDA COM O COLHIMENTO DE FOTOGRAFIAS E OBSERVAÇÕES IN LOCO. ALÉM DE ENTREVISTAS NÃO SISTEMATIZADAS, SENDO POSSÍVEL TER O ENTENDIMENTO DA PROBLEMÁTICA COMO UM TODO, NO QUAL O EMBASAMENTO TEÓRICO-METODOLÓGICO ABORDADO DE FORMA CRÍTICA QUANDO SE TRATA DE ATIVIDADES RELACIONADAS AO USO DA TERRA. NESSE LEVANTAMENTO, PARTE-SE DO PRESSUPOSTO BÁSICO DE QUE A VEGETAÇÃO REPRESENTA A RESPOSTA ÚLTIMA, QUE DERIVA DO COMPLEXO DAS RELAÇÕES MÚTUAS ENTRE OS COMPONENTES DO POTENCIAL ECOLÓGICO. CONSTITUINDO A MELHOR EXPRESSÃO SINTÉTICA DOS DADOS ABIÓTICOS DO AMBIENTE, A VEGETAÇÃO TEM INFLUÊNCIAS MÚLTIPLAS SOBRE SUA DINÂMICA, UMA VEZ QUE INTERFERE NA AÇÃO DOS PROCESSOS MORFOCLIMÁTICOS, OS QUAIS INFLUEM SOBRE A PLUVIOSIDADE E SOBRE A TEMPERATURA DO SOLO E DO AR. EM SUMA, INTERFERE NO ACIONAMENTO DOS PROCESSOS MORFOGENÉTICOS E DOS PROCESSOS PEDOGENÉTICOS. PARTINDO-SE DESSA SUCESSÃO DE CONSEQUÊNCIAS, MEDIANTE AOS COMPORTAMENTOS ANTRÓPICOS SOB A ÁREA NA QUAL CONVIVE, ALÉM DA SEPARAÇÃO EM SUB-BACIAS DA ÁREA ESTUDADA COMO UM TODO E AINDA ANALISANDO SUAS CARACTERÍSTICAS NATURAIS, PÔDE-SE PERCEBER QUE A AÇÃO DE UM INFLUENCIOU O MEIO COMPORTAMENTAL DO OUTRO E VICE VERSA, RESULTANDO ASSIM NA ATUAL SOCIEDADE DEPENDENTE DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MANTER-SE NO ATUAL MEIO NATURAL. É DE IMPORTÂNCIA UM PLANEJAMENTO TERRITORIAL CONSIDERANDO AS CARACTERIZAÇÕES DA ÁREA, COMO AS DA POPULAÇÃO QUE ALI VIVE, ASSIM UMA ANÁLISE GEOAMBIENTAL E O ESTUDO QUANTO À CAPACIDADE DE SUPORTE DOS SISTEMAS AMBIENTAIS SÃO OS PRINCIPAIS FATORES PARA ENTENDER COMO PLANEJAR DE FORMA SUSTENTÁVEL O TERRITÓRIO, TAREFA ESTA CABIDA, A PRINCÍPIO, O ESTADO ATRAVÉS DA REEDUCAÇÃO SOCIAL QUANTO AO PENSAMENTO SUSTENTÁVEL. DESSA FORMA, O TRABALHO BUSCA MOSTRAR QUE É POSSÍVEL RECUPERAR A ÁREA DEGRADADA DO SEMIÁRIDO.


Texto completo:

XML PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

 

 

Revista GeoUECE
ISSN online: 2315-028X

  Locations of visitors to this page

visitas