REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA PAISAGEM SERRANA DE MARANGUAPE - CE

Júnia de Cássia Ferreira Firmeza

Resumo


A GEOGRAFIA É UMA CIÊNCIA QUE SE PREOCUPA EM ESTUDAR A ORGANIZAÇÃO E A REORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO PELO HOMEM RECORRENDO A INFORMAÇÕES QUE SINTETIZEM LEITURAS DAS PAISAGENS E SEUS MOVIMENTOS. A PAISAGEM POR SUA VEZ, APRESENTA-SE COMO RESULTADO DE UM MOVIMENTO TEMPORAL E ESPACIAL QUE VAI CONSTRUINDO UMA COMBINAÇÃO DINÂMICA DE ELEMENTOS DA NATUREZA E DA SOCIEDADE NOS QUAIS VÃO SE TRANSFORMANDO AO LONGO DE UM PROCESSO HISTÓRICO. NESSA PERSPECTIVA, O OBJETIVO GERAL DESTA PESQUISA FOI COMPREENDER O FENÔMENO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS INSERIDAS NO CONTEXTO DA PAISAGEM SERRANA DE MARANGUAPE (CE). OS OBJETIVOS ESPECÍFICOS FORAM: CARACTERIZAR A PAISAGEM SERRANA DE MARANGUAPE EM SEUS ASPECTOS SOCIOAMBIENTAIS E INSERIR A PROBLEMATIZAÇÃO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NO PROCESSO INVESTIGATIVO EM QUE SE FORMULARAM AS BASES NATURAIS E SOCIAIS DA PAISAGEM EM ESTUDO. OBSERVAR, PERCEBER E ANALISAR OS CONCEITOS DO SENSO COMUM ATRAVÉS DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA PAISAGEM POSSIBILITA PENSAR O ESPAÇO GEOGRÁFICO COM A APROXIMAÇÃO DOS CONHECIMENTOS ELABORADOS PELAS EXPERIÊNCIAS E VIVÊNCIAS DA REALIDADE LOCAL. ESTABELECER RELAÇÕES ENTRE SOCIEDADE E PAISAGEM É ENTENDER QUE ESTA INTERAÇÃO CONSTRÓI O ESPAÇO VIVIDO. O MÉTODO EMPREGADO NA PESQUISA FOI O FENOMENOLÓGICO-HERMENÊUTICO, POIS POSSIBILITA A EXPERIÊNCIA ÍNTIMA DO SUJEITO COM O OBJETO DE ESTUDO. PARA OBTENÇÃO DE DADOS UTILIZOU-SE ALÉM DA PESQUISA BIBLIOGRÁFICA, A TÉCNICA VERBAL, BASEADA EM ENTREVISTAS ABERTAS COM ROTEIRO MÍNIMO. NA AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS FOI OBSERVADO O CONTEÚDO DAS ENTREVISTAS PARA E O COMPORTAMENTO DO ENTREVISTADO CONSIDERANDO OS MOMENTOS EM QUE EXPRESSARAM AS EMOÇÕES, QUE NÃO PUDERAM SER CAPTADAS NAS PALAVRAS. A ANÁLISE DO DISCURSO POSSIBILITOU O ENTENDIMENTO DO SENTIDO QUE OS MORADORES LOCAIS DEIXAM EXPLÍCITO NOS DISCURSOS NUMA APROXIMAÇÃO DE COMO SE CONSTRÓI OU SE RECONSTRÓI A PAISAGEM DO LUGAR, INTERPRETADOS PELAS PALAVRAS QUE EXPÕEM TAMBÉM, AS CONTRADIÇÕES E CONFLITOS DESSA REALIDADE. OS RESULTADOS DA PESQUISA POSSIBILITARAM A APREENSÃO DO SENTIDO DAS FALAS QUANTO À COMPREENSÃO DA CONSTRUÇÃO DE SUAS PRÁTICAS COTIDIANAS NAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA PAISAGEM. PÔDE-SE CONCLUIR QUE, AS DIFERENÇAS AFETIVAS DOS INDIVÍDUOS COM O LUGAR PROVOCAM UMA DIFERENCIAÇÃO QUANTO AO USO QUE SE FAZ DA SERRA, QUE TEM ÍNTIMA RELAÇÃO COM AS FORMAS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO. PARA AQUELES MORADORES ANTIGOS A PAISAGEM SERRANA É UM COMPLEMENTO DE SUAS VIDAS, É A SUA PRÓPRIA CASA, POIS OS REMETE A LEMBRANÇAS DE MOMENTOS FELIZES DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE. ESSE SENTIMENTO É SEMELHANTE AOS DAS CRIANÇAS QUE VÊM À SERRA COMO UM QUINTAL, COM BRINCADEIRAS E FRUTAS ABUNDANTES. PARA ENTREVISTADOS JOVENS E ADULTOS A PAISAGEM SERRANA DE MARANGUAPE OS ESCONDE DA VIDA, POIS NÃO LHES DÁ OUTRA PERSPECTIVA QUE NÃO SEJA A AGRICULTURA, SEGUNDO ESTES A PAISAGEM NATURAL NÃO SERVE SE NÃO FOR BEM APROVEITADA COM OUTRAS FORMAS DE RENDA PARA OS RESIDENTES LOCAIS. ESTES ASPECTOS PERMITEM OBSERVAR COMO A PAISAGEM PODE TER SIGNIFICADOS E INTERESSES DIVERSOS QUE MERECEM ATENÇÃO ESPECIAL PARA IMPLANTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS CONCILIADAS À PROTEÇÃO AMBIENTAL QUE ATENDAM AS PERSPECTIVAS DOS INDIVÍDUOS ALI RESIDENTES.

 


Texto completo:

XML PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

 

 

Revista GeoUECE
ISSN online: 2315-028X

  Locations of visitors to this page

visitas