INDÚSTRIA E CIDADE MÉDIA: A TRAJETÓRIA DA NESTLÉ S/A EM MARÍLIA/SP

Denise Cristina Bomtempo

Resumo


 RESUMO

 A leitura das dinâmicas produtivas no território, proporcionadas pela dispersão das atividades na escala global, torna-se um desafio na atualidade, em que a organização do espaço industrial não se baseia apenas em critérios tradicionais de localização. A cidade média, entendida como um lugar de intermediações, apresenta-se como manifestação espacial do funcionamento do capital produtivo originado por grupos de capital local, nacional e multinacional. É um ambiente de mediação entre agentes e interesses de investimentos, como podem ser confirmados os movimentos que organizam a cidade de Marília, localizada no Centro Oeste do Estado de São Paulo, onde os ritmos da atividade industrial demonstram como as redes de relações empresariais superam distâncias e encadeiam sistemas produtivos de maneira multiescalar. Com base nessas questões, este artigo tem como objetivo fazer uma investigação da indústria pela escala da cidade média. Priorizamos entender os processos e as relações que permitem a mutação de empresas de capital local e sua incorporação por investimentos globais, confluindo em novas dinâmicas territoriais. A Nestlé S/A, empresa alimentícia que compõe conglomerado multinacional, será tomada como referência enquanto validação empírica para a abordagem do fenômeno.


[1] Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Campus de Presidente Prudente/SP. Professora do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará – UECE e Bolsista DCR/CNPq/Funcap (denibomtempo@hotmail.com).


Texto completo:

PDF PDF ()

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

 

 

Revista GeoUECE
ISSN online: 2315-028X

  Locations of visitors to this page

visitas