O RELEVO COMO UM PONTO DE PARTIDA AO ESTUDO GEOSSISTÊMICO DA NATUREZA: O CASO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO SÃO MIGUEL, ALAGOAS

Júlio César Oliveira de Souza, Antonio Carlos de Barros Corrêa

Resumo


O relevo pode ser visto como o substrato no qual o homem mantém um contato mais íntimo com a Terra, pois com este, interage diretamente altera-o de modo contundente e por isto, merece atenção quando ao seu estudo, logo, pode ser considerado como o ponto de partida para a análise da natureza em uma bacia hidrográfica e, de modo particular, a bacia do rio São Miguel, no estado Alagoas. A ocupação da citada bacia foi acompanhada por alterações substanciais em suas morfoestruturas e desta forma, este artigo objetiva apresentar os efeitos que as mudanças ocorridas no uso e ocupação do solo promoveram na bacia hidrográfica, sob a perspectiva dos geossistemas. O método adotado foi a identificação das unidades morfoestruturais, a criação de SIG com cartas temáticas acerca do estado de degradação da bacia e a proposição de um zoneamento geográfico para área usando como parâmetro, as características de cada forma de relevo. Os resultados preliminares apontaram que todas as unidades morfoestruturais e suas respectivas subunidades locais encontram-se em estágios variados de degradação, e que seria preciso identificar formas de uso menos nocivas nas mesmas de modo a tornar mais racional, ao final, o uso esperado e o permitido na bacia.

 


Palavras-chave


Bacias Hidrográfica, Relevo, Geossistema

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 

 

 

Revista GeoUECE
ISSN online: 2315-028X

  Locations of visitors to this page

visitas