Desigualdades e segregações socioespaciais em Fortaleza, Brasil: Uma análise a partir da Praia do Futuro

Eduardo Gomes Machado

Resumo


Apesar da inclusão social em curso no Brasil no século XXI, persistem desigualdades e segregações socioespaciais complexas e graves nas cidades brasileiras. Por isso, é importante caracterizar e explicar essas desigualdades e segregações socioespaciais, gerando referências conceituais e empíricas que considerem a gênese e a evolução da estrutural territorial da cidade analisada. Isso é feito aqui através do caso de Fortaleza, Brasil, com foco na região da Praia do Futuro. Comparam-se dados socioeconômicos espacialmente localizados na escala da cidade e, em seguida, em onze bairros da região da Praia do Futuro e próximos. Utilizam-se dados oficiais e observação direta. Conclui-se que a região da Praia do Futuro é onde estão as maiores desigualdades e graves segregações socioespaciais na cidade. A estrutura territorial de Fortaleza evidencia um arco de ocupação popular e precária e um setor ocupado por elites proprietárias e segmentos médios abastados. Porém, os resultados também indicam como o espaço urbano citadino é bem mais complexo e multifacetado, em suas configurações e em suas dinâmicas, paradoxos e tensões territoriais, em várias escalas intraurbanas.

Palavras-chave


Desigualdade socioespacial, segregação socioespacial, território, estrutura urbana.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE