A dinâmica geográfica do agronegócio e as relações de trabalho no Nordeste

Juscelino Eudâmidas Bezerra

Resumo


A mundialização do capital tem reconfigurado a dinâmica geográficado capitalismo sendo hoje responsável por ditar as principais transformaçõesoperadas na produção do espaço geográfico.O resultado desse cenário é a instauraçãode amplos processos de ordenamento espaço-temporal como condição ineliminávelda acumulação capitalista e responsável por colocar a discussão sobre o fenômenode extensão da divisão internacional do trabalho no centro das nossas preocupações.Nesse ínterim, o Brasil e em particular a região Nordeste têm experimentado umanova lógica de formação de espaços de acumulação de capital propiciada, no quediz respeito ao espaço agrário, pelo avanço do agronegócio. A presente pesquisase justifica pelo momento vivenciado na expansão do capital sob o modelo doagronegócio no Nordeste e seus respectivos desdobramentos no que tange asalterações na dinâmica socioespacial, cuja expressão nos lugares ganha corpo apartir da mobilização promovida pela divisão social e territorial do trabalho nocampo nordestino. Nesse sentido, o objetivo geral da pesquisa é analisar astransformações no mundo do trabalho a partir do desenvolvimento do agronegóciono espaço agrário nordestino sob a ótica da relação entre geografia e trabalho.Elegemos como eixo central a análise da divisão territorial do trabalho a partir dodesenvolvimento do mercado de trabalho agropecuário formal, signo do avançodo capital no campo nas áreas de difusão do agronegócio no Nordeste.

Palavras-chave


Agronegócio, Mercado de Trabalho, Região Nordeste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE