O sector da saúde na Grécia antes de depois da crise e as experiências de participação cidadã

Isabel Craveiro, Gilles Dussault

Resumo


A Grécia enfrenta problemas variados, incluindo o envelhecimento da população, a diminuição do crescimento natural, migrações e a crise dos refugiados, que colocam desafios consideráveis ao o futuro do sistema de cuidados de saúde.O sistema de saúde grego pode ser caracterizado como um sistema misto (público-privado), coexistindo os seguros, o social obrigatório (IKA) e um sistema de seguro de saúde privado voluntário, com o Serviço Nacional de Saúde (ESY- Ethniko Systima Ygeias). Em 2011 foi criada a Organização Nacional de Serviços de Saúde(EOPYY). O país está sob ajuda externa desde 2010, eo sector da saúde foi considerado “um factor importante” no descontrolo da economia do país, que ficou sob intenso escrutínio da Troika. O sistema de saúde acumula problemas estruturais há mais de uma década, agravados com a crise. Neste contexto económico, social e legislativo, com base na revisão da literatura publicada recentemente, apresentamos experiências gregas relativamente às práticas de participação dos cidadãos na definição da política de saúde na Grécia. De acordo com a evidência, as reformas empreendidas no sistema de saúde grego parecem focar-se nas dimensões operacionais, financeiras e de gestão, ignorando o lado do cidadão ou uma perspectiva de um sistema de saúde centrado no paciente. Pelo que haverá ainda espaço para que os decisores políticos promovam mecanismos de participação cidadã.

Palavras-chave


participação cidadã; sistema de saúde; crise; Grécia.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE