Corpo e violência: experiências cotidianas em contextos marcados pela criminalidade e pelo medo

Clodomir Cordeiro de Matos Júnior

Resumo


O presente artigo tem por objetivo ser uma contribuição aos estudos que se dedicam à compreensão das práticas corporais em contextos representados sob a ótica da criminalidade e do medo. Nessa perspectiva, pretendemos em nosso texto refletir sobre o lugar do corpo nas experiências cotidianas dos moradores de um bairro da periferia de Fortaleza, Ceará, Brasil, destacando a contribuição da questão corporal para a conformação dos contornos do atual regime democrático brasileiro. Explorando os percalços dos moradores de espaços atravessados pela representação da violência e do medo, através de uma abordagem que privilegia os sentidos e os significados negociados no jogo social, versaremos sobre como o corpo emerge como um elemento pleno de significados no processamento e desenvolvimento do conhecimento social. Apreciado sob a ótica da criminalidade e dos medos urbanos, o espaço público das grandes cidades brasileiras não é representado como um lugar seguro para ostentações materiais e manifestações despreocupadas do “eu” mediadas por objetos de consumo.


Palavras-chave


Corpo; violência; medo; periferia; Fortaleza.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE