A rua e a casa: estratégias e táticas do movimento nacional de população de rua e seus impactos sobre a implementação da política de habitação social

Marina Rute Pacheco

Resumo


Os dilemas enfrentados pelo Movimento Nacional População de Rua (doravante MNPR) que surge como organização política ainda na segunda década do terceiro milênio, e a mobilização em torno de demandas ao Estado por condições de subsistência imediata através de lutas por reformas, privilegiando a busca pela ampliação da cidadania e dos direitos sociais, são questões centrais que orientam a composição deste artigo. É nesse sentido que o objetivo é compreender as práticas políticas deste movimento social privilegiando tanto as articulações com outras organizações da sociedade civil, quanto à participação política institucional. Para tanto, o trabalho está assentado em três chaves analíticas: o conceito de “repertório de contestação” de Tilly, a noção de “luta por reconhecimento” de Honneth, e a noção de justiça em Fraser. As considerações trazidas aqui estão baseadas na análise de dados oriundos de matérias jornalísticas em periódicos sobre o movimento social, de entrevistas, discursos das lideranças do Movimento Nacional População de Rua e dos representantes da burocracia estatal, veiculados às mídias. 


Palavras-chave


movimentos sociais; políticas públicas; população em situação de rua

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE