Os acordos entre Estado e PCC: a disseminação do Comando nas unidades femininas de São Paulo

Rosângela Teixeira Gonçlaves, Josiane Silva Brito

Resumo


Em face do crescimento do encarceramento de mulheres em decorrência da intensificação da repressão aos delitos de menor potencial ofensivo, como o tráfico de drogas, torna-se fundamental compreender qual a relação das mulheres com o mundo do crime. Aqui propomos contribuir com a redução dessas lacunas focando nas formas através das quais as mulheres se aproximam ou estão inseridas nas dinâmicas do Primeiro Comando da Capital – PCC, considerando que a inserção das mulheres no mundo do crime em São Paulo, vêm se dando através da relação com o tráfico de drogas, das conexões com a prisão, através do encarceramento ou da prisão de seus companheiros ou ainda nas dinâmicas das periferias, que a partir da movimentação incessante de familiares e presos pelas unidades penitenciárias do estado e pelos bairros,  proporciona a difusão de códigos e procederes do PCC. O encarceramento massivo no estado implicou na expansão e fortalecimento da organização também dentro das penitenciárias femininas. Desse modo, propõe-se discutir a disseminação do PCC pelas unidades prisionais femininas como fruto da política de encarceramento em massa no estado, a partir da análise dos arranjos institucionais que fundamentam o contrato de terceirização da alimentação de três unidades prisionais do município de São Paulo, análise esta que permite esboçar algumas considerações sobre as relações entre homens e mulheres presos vinculados ao PCC.


Palavras-chave


Mulheres. Gênero. Sistema Penitenciário. Primeiro Comando da Capital.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE