Violência no Ceará: As chacinas como expressão da política e do conflito entre facções

Luiz Fábio Silva Paiva, João Barros, Ricardo Cavalcante

Resumo


O presente artigo busca analisar o fenômeno das chacinas no estado do Ceará como um dispositivo necropolítico de gestão da vida e da morte empregado tanto por agentes estatais quanto pelo crime organizado. Para tanto, fazemos uma reconstituição das diversas chacinas ocorridas no Estado do Ceará neste ano, especialmente, em Fortaleza. Há uma mudança bastante substancial nessa prática, que passa a ocorrer de forma cada vez mais recorrente e atingindo, de modo crescente, mulheres e adolescentes do sexo feminino. A Chacina das Cajazeiras apresenta-se, por conseguinte, como um caso emblemático dos efeitos sociais da ação de facções na gestão da vida e da morte nas periferias. Como estratégia metodológica, realizamos incursões etnográficas em conjunto com estudos de notícias veiculadas na mídia, possibilitando compreender distintos pontos de vista que vão desde o morador de um território dominado por facções ao chefe de Estado. Aliada a essa análise, congregamos uma perspectiva analítica entre sociologia e psicologia tendo em vista a complexidade do fenômeno em questão.

Palavras-chave


Chacina, Crime, Violência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE