Cidades, espaços e produção de saúde: Vivências na dimensão psicossocial

Zulmira Aurea Cruz Bomfim, Ligia Cristina Azevedo Souza

Resumo


O objetivo deste artigo é trazer uma reflexão sobre a inter-relação entre cidade e afetividade na perspectiva psicossocial e histórico cultural para a compreensão da promoção da saúde a partir de três dimensões: a construção de significados, a sustentabilidade e o sofrimento psíquico. O ambiente como construção sócio física, cultural e temporal na psicologia ambiental e na psicologia social vai além do ambiente como pano de fundo. Este não é somente aquilo que circunda o indivíduo, mas aquele que traz impressões em sua subjetividade, que pode impactar em sociedades mais saudáveis, vivas e abertas, ou ao contrário gerar sofrimento psíquico. A pesquisa articula as dimensões supracitadas elegendo a categoria afetividade como observação, intervenção e analise pelo método dos mapas afetivos. Apresentaremos resultados de pesquisas desenvolvidas no laboratório de pesquisa em psicologia ambiental (LOCUS-UFC) que apontam indicadores afetivos de processos de produção de saúde em ambiente urbano a partir da percepção de seus habitantes, avaliando afetos que potencializam e ou que  despotencializam a ação destes na cidade.


Palavras-chave


Afetividade, sustentabilidade; bem-estar subjetivo; sofrimento psíquico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE