Interações, violência e morte de imigrantes africanos na cidade de Fortaleza

Ercilio Neves Brandão Langa

Resumo


O artigo analisa a violência e morte de imigrantes africanos na cidade de Fortaleza entre 2010 e 2016. A partir do Interacionismo simbólico de Erving Goffman e de Howard Becker, avaliei as interações desses sujeitos com a população local em distintas instituições, espaços públicos e privados. Como métodos, além da etnografia combinada com entrevistas e conversas informais com africanos, realizei uma análise documental coletando notícias e reportagens de jornais sobre os imigrantes. Nos últimos oito anos verificaram-se distintas formas de violência – racial, policial, física e simbólica – nas suas interações com diferentes segmentos da sociedade, bem como assaltos na via pública e residências com recurso à facas e armas de fogo, com baleamentos de africanos. Além desses casos destacam-se linchamentos, atropelamento dolosos e feminicídios que resultaram em mortes de africanos e africanas. Conclui-se que, apesar da violência ser “difusa” na sociedade, esta afeta sobremodo os africanos por conta da cor da pele, origem étnica e local de moradia, sendo mais vitimados que outros grupos imigrantes na cidade.

Palavras-chave


Violência urbana; Interacionismo; imigrantes africanos; cidade de Fortaleza.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE