Como ser mais livre? Política, economia e a genealogia da ideia de Deus em Proudhon

Natalia Monzón Montebello

Resumo


Percebendo o funcionamento de uma articulação lógica entre o absoluto no pensamento e o absolutismo político, Proudhon formula, através da economia, uma crítica anárquica radical da política, seja enquanto pensar, seja enquanto espaço das relações sociais fundadas na defesa da propriedade, isto é, do privilégio. Sua crítica desarticula a lógica autoritária que, segundo ele, ecoa na prática do governo unitário e centralizador. Mas se o autoritarismo no governo se atrela ao autoritarismo no pensamento, antes disso a filosofia política atrela-se à teologia. Correspondência, então, entre governo e religião, por um lado, e filosofia e teologia, por outro. Assim vai compondo Proudhon um ponto de vista analítico do problema da correlação entre autoridade e liberdade pela hipótese de Deus, o que lhe possibilita pensar a política permanecendo na tensão antinômica dos confrontos. É essa crítica anárquica que o artigo apresenta de maneira sucinta, buscando provocar novas conversas e desdobramentos pertinentes.

Palavras-chave


Política; Economia; Filosofia; Anarquia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE