Medo, adoração e encantamento na política de juventude brasileira

Marcílio Dantas Brandão

Resumo


Recuperando minha própria trajetória de colaboração em desenvolvimento, implementação e análise de diferentes políticas envolvendo jovens, este texto discorre sobre uma concepção pragmatista de política pública que não se restringe a ações de Estado. Inicialmente, apresento diferentes iniciativas que acompanhei como educador, gestor ou pesquisador. Desta apresentação e de uma breve reflexão teórica, filosófica e lexical, extraio a discussão de três emoções coletivas que afetam políticas de juventude no Brasil: medo, adoração e encantamento. Em seguida, aponto alguns avanços e desafios dessas políticas e, à guisa de conclusão, destaco a necessidade de integração de diferentes saberes e emoções no ciclo das políticas públicas de juventude.


Palavras-chave


Políticas de Juventude; Brasil; Medo; Adoração; Encantamento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE