A (in)sustentabilidade da qualidade e da gestão democrática na educação brasileira

Carlos RS Machado

Resumo


A qualidade e a democratização da educação são temas recorrentes nos discursos das políticas públicas educacionais. Porém, o conteúdo das preocupações e reflexões a respeito desses assuntos é, sempre, perpassado por concepções conforme o ponto de vista dos analistas, dos atores sociais e dos gestores públicos. Mas, deve ser relacionado aos contextos do debate e ao lugar nos quais se encontra cada ator no conflito por definir seus significados. Para dar um estatuto teórico a reflexão, na trilha de Henri Acselrad (2009) remeto-a “à discussão sobre a reprodução social”, ou seja, à “reprodução no tempo das condições materiais de constituição das relações sociais”. A sustentabilidade das cidades/sociedades está diretamente relacionada à manutenção das diversas identidades socioculturais dos grupos humanos. Semelhante processo ocorre em relação à definição de uma educação de qualidade e à sua gestão. Na primeira parte, apresento uma interpretação do “pano fundo” sobre o qual, as políticas educacionais e os temas se desenvolvem na atualidade. Na segunda, discuto a qualidade e a gestão relacionado-as aos projetos, utopias e valores em conflito, referido as classes e aos projetos de sociedade. Portanto, o conteúdo da qualidade e a gestão, deveria ser relacionado a sustentabilidade do que, porque e para quem? Tal questão é desenvolvida ao final, seguido de comentários finais.


Palavras-chave


(in) sustentabilidade, qualidade e gestão democrática

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE