A integração entre a Segurança Pública e a mediação de conflitos por meio da polícia comunitária

Lilia Maia de Morais Sales, Andrine Oliveira Nunes

Resumo


Para a manutenção de um Estado Democrático de Direito o principal não é a força, a agressão, por meio da repressão policial, mas o desenvolvimento da sociedade pela educação, pelo acesso irrestrito à justiça e pela proteção aos direitos. A formação do policial deve ser fulcrada nos direitos humanos, a fim de que este se entenda como detentor de dignidade e consiga visualizar o próximo da mesma forma. O policiamento comunitário se caracteriza por integrar o policial à comunidade, resgatando a confiabilidade na sua atividade funcional e prevenindo o crime. Por meio da mediação de conflitos – instrumento hábil para o desenvolvimento desta proposta, por ser um mecanismo que utiliza o diálogo e a construção do consenso – a relação entre agente de segurança e sociedade se fortalece, o que auxilia na conscientização da população perante a sua responsabilidade no tocante à segurança pública e à efetivação de uma cultura de paz.

Palavras-chave


diálogo, mediação de conflitos, polícia comunitária, segurança pública.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE