Sob a proteção do estado: controle e contenção social

Domingos Abreu, Roberto dos Santos da Silva

Resumo


O artigo analisou a rede sócio-assistencial para adolescentes em situação de risco, em Fortaleza, com foco nos abrigos públicos, previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente. Buscou-se entender as dinâmicas sociais da aplicação da medida de abrigamento público no que se refere à internalização de valores, mecanismos de controle e contenção social junto a sua clientela. A coleta de dados deu-se através de entrevistas com gestores, diretores, educadores e técnicos dessas instituições. Além disso foi feita uma série de observações de campo e uma pesquisa documental produzida pelas e sobre as instituições focalizadas. Concluiu-se que estes abrigos são parte de um aparato mais extenso de controle com cunho civilizatório, que se efetiva pela rede assistencial em que se inserem, com vista a inculcar um autocontrole, em seus educandos, condizente com as normas vigentes e a construir um habitus exigido para sua inclusão na escola formal e no mercado de trabalho.

Palavras-chave


abrigos públicos; adolescentes; controle social; processo civilizador; internalização de valores; habitus.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


O público e o privado - Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará - UECE